Skip to content

Em Busca da Felicidade… ou seria da Lacuna?

09/06/2010

No vale tudo pra ser feliz, homens e mulheres dilaceram corações e fazem piscinas com lágrimas em lacunas resultantes de escolhas imaturas e ilusórias tornando para muitos o relacionamento ideal, algo utópico. Para ilustrar meu ensaio, eu poderia usar de histórias reais de conhecimento geral do público, mas por questões de ética, usarei de base o filme The Notebook (Diário de uma Paixão).

É tão comum ver casais se divorciando em meio a fuligem de São Paulo e do restante do mundo. Alguns se unem informalmente alegando evitar problemas posteriores com o juiz. Casais que optam pelo matrimônio direto, são por vezes considerados demodês.

Para se esquecer um amor, somente um novo outro amor!”

Sem dúvida alguma, eu tenho este dito popular por maldito. Utilizando do filme por ilustração, nele, a jovem Allie Hamilton viveu um intenso romance com Noah Calhoun. Após a separação forçada do casal pelos pais da jovem, Noah é enviado para a 2ª Grande Guerra Mundial. Allie, com o passar do tempo, acredita que para esquecer de Noah, somente com um novo outro Noah em sua vida. Então Allie fica noiva de Lon Hammond Jr., aí cava, a jovem, sua lacuna. Lon a ama e a deseja por esposa, Allie aceita pra suprir o vazio deixado por Noah. Sete anos depois, Allie experimentando o seu vestido de noiva, vê num jornal, o anúncio de Noah, vendendo sua casa campestre e desmaia. Aprofundemos nesta sequencia do filme:

Allie tinha uma enorme chama dentro dela que queimava por Noah, com a esperança lançada ao fogo pela guerra, ela deixa essa fogueira de lado e com alguns galhos, levanta uma outra chama, agora para Lon. Allie talvez, até houvesse esquecido a primeira chama, mas não a apagou. Allie não renunciou a Noah, ela tentou encontrar uma nova forma de se aquecer do frio, mas não desfez aquela fogueira, Allie não pôs fim, não renunciou, não jogou fora, não terminou. Quando a foto de Noah surge em sua frente, fora como se por um momento se lembrasse da fogueira ao lado esquecida queimando um pouco de brasa que ainda havia e seu olhar fora fogo. O coração de Allie já não se dividiu, sua consciência sim, de ter de volta a esperança de realizar o feito com quem de fato sonhara e de ter que se desfazer de um casamento já pronto e enfrentar o constrangimento do fracasso de seu noivado tão enfatizado feliz.

Allie não pôde evitar ir atrás de Noah, porque sua história não tivera um fim! Estava inacabada. Isso fica explícito em seu desabafo na chuva – “- Por que não me escreveu? Não havia terminado pra mim!”. Então Allie trai seu noivo, desmancha o seu relacionamento e vai viver com Noah. Essa é a sequencia ápice do filme, é tão envolvente e bem escrita, que todos torcem pra que Allie deixe Lon, mas ninguém vê o mal que há nessa escolha. E Lon? E seus planos? E seu rosto? E seu coração?

Nosso casamento não deu certo.” ,“Foi um acidente.” – desculpas imaturas e maquiadas! “Nosso casamento não deu certo, eu traí e decidi deixá-lo! Foi um acidente, eu gostava de outra pessoa, achei que não poderia tê-la, me arranjei com outra, daí a primeira disse que daria, então larguei tudo e fui. Foi um acidente!” Desde quando imprudência é acidente? Dirigir embriagado e bater o carro não é acidente, é consequência do seu ato! Nunca, nunca se relacione com alguém se não tiver renunciado, suprido e queimado tudo do antigo amor, isso é deslealdade com o outro. O filme não mostra o que houve com Lon porque se não, The Notebook não seria mais um filme fofo. Mentir a si mesmo e enganar o outro não tem nada haver com ser feliz. Já não sabemos mais amar.

Por mais profissional e bem sucedido que seja O Diário de Uma Paixão, não aconselho a assistirem-o. Uma mensagem subliminar, é um conceito, involuntariamente , que fica gravado em sua mente, ao se deparar com a situação, sua decisão é influenciada por este conceito pré formado em você. Empresas de refrigerantes fazem isto em suas propagandas a todo tempo! É perigoso dar ouvidos e atenção a qualquer coisa. Somos influenciados pelo que ouvimos, vemos e falamos e o cinema é o terceiro maior influenciador e formador de opinião dos instrumentos de comunicação.

cenaA cena da traição é descrita com uma romântica tarde chuvosa, uma linda lagoa refletindo Allie com suas pernas abertas e trançadas na cintura de Noah num beijo tão caloroso que os dois atores até ataram relacionamento fora dos sets de filmagem. Torcemos pelo erro. Desejamos a traição de Allie e a dilaceração e vergonha do coração de Lon. Se Allie não havia superado Noah, que não se unisse a Lon.

  • Mas então ela vai morrer solteira?

Se você não está preparado para pilotar um avião, por favor não o tente. Você irá derrubar essa lata de chumbo na sua e em outras cabeças! Só faça isso após preparado!

Olhando desta perspectiva, O Diário de Uma Paixão não é nada romântico, é um filme de horror.

Para reflexão, darei um final alternativo pra o filme:

Noah e Allie ficaram juntos e viveram felizes. Lon desonrado e constrangido ao perder sua noiva por uma história viva que ela preferiu não finalizar nem contar-lhe, pegou sua arma com a qual defendera seu país na guerra e disparou uma única bala em seu peito afim de pará-lo de pulsar a dor…

Fim


Amem sem maquiagens, mentiras nem enganos. Limpem seus corações. Sejamos leais com nossos cônjuges. Não achem que desistir é mais fácil. Quebrar promessas, magoar corações, rejeição e traição nunca serão as melhores escolhas. Todo traidor desconfia do seu cônjuge. Toda separação deixa uma lacuna. Resolvamos nossas histórias, deixemos livres e limpos nossos corações, então amemos de verdade.

A língua hebraica separa essa chama relatada neste ensaio em três palavras: Raya (amizade), Ahavá (amor/companheirismo) e Dod (amor conjugal/sexo). O amor verdadeiro é trindade.

Anúncios

Amor x romA

09/06/2010
tags: ,

Que tipo de amor estamos vivendo? Será que é um amor espontâneo, caloroso, sincero, um amor que ama sem esperar nada em troca? Ou um amor frio, insensível, inconprensível e que não leva em consideração os sentimentos dos outros?

A cada dia que passa, aprendemos a amar da maneira errada por influência externa de vários meios de comunicação e até mesmo pessoas, e pessoas que são em certas vezes da nossa própria família. Mas qual será a forma correta de amar? Para se amar não é necessário impor regras ou conceitos, é simplesmente amar. “Amar porque”, “amar quando”, “amar se”, “amar onde”, amor que fere e machuca e faz mal ao próximo, tudo isso são conceitos que estão deturpando o real sentido de amar. Pessoas que amam assim estão enganados pela injustiça que algum dia encararam e a cada momento que passa vão perecendo porque não receberam o amor da verdade que pode liberta-los dos grilões que os prendem à irracionalidade.

Diante de tantas notícias que não têm nada haver com a ação de amar, achamos que é praticamente impossível encontrar alguém que ame de verdade, mas não é, e você pode começar a mudança pela sua forma de pensar, basta resgatar aqueles velhos hábitos que são muitas vezes pequenos e que até passam despercebidos por causa da “velha correria do dia a dia”.

Vamos, escolha simplesmente amar, pois não “amamos porque”, não “amamos quando”, não “amamos se”, não “amamos onde”, amamos porque queremos ser amamos, amamos porque simplesmente queremos ser felizes e novamente andarmos de mãos dadas com nossas namoradas, e reavivar dentro de nós aqueles contatos que não notamos mas que fazem a diferença na nossa vida!

Pois a final, no Amor não há medo, pois a verdadeira expressão deste sentimento joga fora todo o temor que não nos deixa viver e que só vem para nos subjulgar, o perfeito amor simplesmente ama, mesmo que isto signifique negar a si mesmo em prol de uma causa ou de uma pessoa, ou até mesmo de várias pessoas

Reaprenda a Amar!

Preconceito e Injustiça Social

09/06/2010

Chego a perceber, parecer uma guerra, onde a minoria dos ricos massacram a grande maioria dos pobres, não distante, parecer os reflexos da Revolução Industrial do século XVIII, onde houve a implantação do Capitalismo, trazendo um novo estilo de vida, um novo modelo de Sociedade, onde os burgueses oprimiam o proletariado.

Hoje, no Brasil, por sinistro que pareça, faz parte dos 20 países mais ricos do mundo com uma das 10 piores distribuições de renda, onde 80% da riqueza gerada no país está concentrado nas mãos de apenas 10% da população.

Situação esta, que leva a gerar uma das formas mais comuns de preconceito no Brasil e em paises onde a desigualdade se torna bem visível, num nível elevado, é o preconceito social.

Preconceito diz (pré=antes conceito=distingui) você conceitua antes de conhecer alguém.

Podemos também dizer descriminação (impor uma condição de caráter antes de conhecer algo ou alguém).

O que chamaríamos de preconceito social?

Pobres de um lado da calçada, ricos do outro lado?

Nem sempre, eles podem muito bem estar juntos, num ambiente de trabalho, em um shopping, em um cinema e até mesmo na igreja e se dá a perceber o grau de indiferença no olhar do dito “superior”.

Os ricos têm seu constante grau de facilidade e aceitação em qualquer área social, a classe média, consome e domina a opinião pública no nosso país desde que seja interesse do rico, e o pobre?

Será que as classes dos pobres estarão sempre presas ao egoísmo dos ricos, e ao medo da classe média, será que o pobre sempre será excluído dos privilégios da evolução  e continuará não tendo acesso a educação, a saúde, ao lazer, sempre com o futuro já escrito por aqueles que precisam da mão de obra barata e frágil às ameaças de uma minoria opressora e burguesa?

Até quando ó Brasil?

A felicidade

09/06/2010

Num dos meus momentos a sos, refletia no que realmente faz uma pessoa feliz. Pensei em varias “possibilidades”, e logo cheguei à conclusão do que realmente não traz. E o que não traz a felicidade (ou, na melhor das hipóteses, um prazer e/ou alegria temporária)? São: dinheiro, mansões, carrões, mulheres (ou homens, no sentido sexual), ter vários bens pessoais, ser bem sucedido profissionalmente, álcool, tabaco, drogas, ser popular (na escola/faculdade ou trabalho), ter fama e ou sucesso… Nada disso traz a verdadeira felicidade. A prova? É só ver nos noticiários e perguntar a qualquer psicólogo “entre as 5 categorias de classe social, qual é a que mais sofre de depressão?” e o mesmo te responderá “as classes A e B”, ou seja, aqueles que “teriam tudo para serem felizes”, são aqueles que possuem mais tristezas.

Sabem quem é o rapaz da foto acima? O seu nome é Nick Vujicic, é um australiano que sofre de focomelia, que superou todos os obstáculos para tornar – se um dos maiores testemunhos do que é realmente ser feliz e ter a verdadeira felicidade. Ele criou a fundação Life Without Limbs (Vida sem Membros, em tradução literal) e já visitou cerca de 20 países em palestras de motivação para empresários, estudantes, presidiários, crianças e deficientes físicos. Aos 26 anos e com apenas um metro de altura, Nick Vujicic leva uma vida independente. É capaz de se vestir, se pentear, aliviar as suas necessidades e até se barbear sem o auxílio de terceiros. Em casa, ele costuma pular para se locomover, e usa uma cadeira de rodas quando sai às ruas. O mais surpreendente talvez sejam os hobbies de Vujicic: nadar, surfar e jogar golfe. Se ele enfrentou muitos desafios e obstáculos? Sim, obvio. Abaixa vai um pouco de sua história:

Seus pais são Cristãos (seu pai é pastor) e eles não tiveram tempo para se preparar para o nascimento de Nick, em 4 de Dezembro de 1982. Todos choraram quando ele nasceu, e se perguntaram o porquê de Deus ter permitido que aquilo tivesse acontecido com sua família, sendo que sua mãe lhe deu uma irmã e um irmão normais. Todos achavam que ele não sobreviveria, mas quando fez 15 anos ele passou a dedicar sua vida a Deus. Nick terminou o curso universitário de comércio, formado em planejamento financeiro e contabilidade e também escreveu o livro “Life Without Limbs” (A Vida sem Membros). “Nada na vida deve ser temido, apenas compreendido.” (Nick Vujicic).

Abaixo um video sobre ele:

E uma entrevista do Nick:

Cigarro, a morte cilindrica.

26/05/2010

Hoje em casa vi a seguinte reportagem que me deixou muito triste e que mostra que cada vez mais o mundo está podre. Um bebê na Indonésia, com dois anos de idade, fuma 40 cigarros por dia. Enquanto ele brinca na motoca, aproveita para dar uma tragada. Foi o próprio pai quem deu o primeiro cigarro para a criança. Na época, ele tinha 18 meses. A mãe do garoto acredita que ele está viciado. Ela contou ao jornal inglês “The Sun” que, quando não recebe os cigarros, bate a cabeça contra a parede. Já o pai afirma que o filho parece saudável. “Eu não vejo problema”, disse. No país, é comum crianças fumarem. O hábito do garoto custa mais de R$ 10 por dia para a família asiática.

Para vocês entenderem melhor, vamos ver o cigarro na história. O cigarro tem sido utilizado há milhares de anos, em várias formas e com propósitos culturais diferentes. Em algumas sociedades indígenas, faz parte de ritos religiosos e funciona como forma de exercer autoridade. No século XVI, o uso dele foi disseminado na Europa por Jean Nicot. Desde o início do século XVIII, o cigarro passou a ser produzido em escala industrial e foi associado a padrões de vida elevados.

O tabagismo é uma das principais causas de doença e morte, e tem causado uma epidemia de morbidade e mortalidade prematuras, através de seu efeito sobre doenças respiratórias, cardiovasculares e neoplasias. Os fumantes morrem duas vezes mais do que não fumantes. Além disso, o cigarro é responsável por 75% dos casos de enfisema e por 25% dos infartos agudos do miocárdio. É causa importante de doença aterosclerótica e um dos três principais fatores de risco para doença arterial coronária. O fumante passivo tem 3 vezes mais chance, ou seja, 200% a mais de chance de contrair câncer de pulmão e há um risco 9 vezes maior ou 800% a mais de acidente vascular periférico. A mulher, que começa a fumar antes dos 17 anos, pode ter menopausa precoce e o homem tem predisposição à impotência. O tabagismo é provavelmente responsável por mais de 20% dos óbitos por doença arterial coronária em homens com mais de 65 anos e por aproximadamente 45% das mortes nos homens com menos de 65 anos. Nas mulheres o risco é semelhante. Estudos indicam ainda que tabagismo, hipertensão e hipercolesterolêmica contribuem igualmente para a doença arterial coronária.

Outras doenças que podem acometer os “fumantes” são:

Dores nas costas – O fumo é um dos principais fatores que desencadeiam as dores na coluna. Os fumantes inalam substâncias tóxicas que prejudicam a circulação sanguínea do disco intervertebral.

Infertilidade – Nos homens o cigarro reduz a concentração de espermatozóides, diminui a movimentação e provoca alterações na sua estrutura, que podem favorecer o aborto. Já nas mulheres, o cigarro diminui o fluxo de sangue para os ovários, prejudicando a qualidade do óvulo, podendo causar até menopausa antecipada.

Coração – O cigarro facilita a formação de coágulos, o que pode provocar o ataque cardíaco, dependendo do local onde se formar esse coágulo, o fumante pode ter um infarto, um derrame ou apresentar outros tipos de problemas.

Pele – O cigarro diminui o oxigênio para a pele, fazendo com que ela perca o viço, o tônus, reduzindo a renovação celular.

Dentes – O cigarro é inimigo numero um dos dentes. Pode causar desde manchas até câncer labial. A nicotina influencia na pigmentação dos dentes, deixando-os amarelados, além disso, qualquer tipo de fumo, incluindo cigarro, cachimbo e charuto , pode causar câncer nos lábios.

Antes que seu vício se torne fatal, apague este vício que só traz malefícios para você, apague o último cigarro da sua vida.

Vantagens de parar de fumar:

A pressão arterial, a freqüência cardíaca e a temperatura das mãos e pés tendem a voltar ao normal, vinte minutos após a pessoa parar de fumar.

Após 8 horas, o nível de monóxido de carbono no sangue normaliza e o nível de oxigenação no sangue aumenta.

Após 24 horas, diminui o risco de um ataque cardíaco.

Após 48 horas, as terminações nervosas começam a se regenerar. O olfato e o paladar melhoram.

Após 72 horas, a árvore brônquica torna a respiração mais fácil e a capacidade pulmonar aumenta em até 30%.

Após 2 semanas, a circulação sangüínea aumenta e o caminhar torna-se mais fácil.

De 1 a 9 meses após parar de fumar, diminui a tosse, a congestão nasal, a fadiga e a dispnéia. O movimento ciliar dos brônquios volta ao normal, limpando os pulmões e reduzindo os riscos de infecções respiratórias. Aumenta a capacidade física e a energia corporal.

A seguir o vídeo da reportagem:

19/05/2010

 

Filme recomendado “I am Sam” (uma Lição de Amor) com Sean Penn na maior atuação de Hollywood (opinião do autor deste post).

Ótima reflexão sobre escolhas, opiniões, soluções e consequencias ao se deparar com o gelado conflito.

Assistam, leiam-o e cresçam.

Honra.

12/05/2010
tags:
by

Hoje, indo para o trabalho, fui refletindo sobre o estado atual tanto do mundo como dos seres humanos de modo geral. Nessa reflexão eu cheguei a varias conclusões e entre elas foi que no mundo a palavra honra não existe mais no vocabulário do ser humano.

Palavra pequena, mas de um valor inestimável Honra é aquilo que determina o caráter de uma pessoa, se ela é ou não é honesta, se ela tem e/ ou possui respeito, integridade, e/ou justiça. Isso significa que infelizmente as pessoas não possuem mais um código de conduta (um conjunto de regras para orientar e disciplinar a conduta de um determinado grupo de pessoas de acordo com os seus princípios) e por consequência disso não tem mais princípios

Sem honra, somos piores que animais, pois até os animais possuem honra (e código de conduta). Eu particularmente possuo um código de conduta pessoal (uma mistura dos ensinamentos de Jesus Cristo, do Bushido, o código de ética militar e da cavalaria medieval). Sem um código de conduta para moldar a sua honra faz que os seres humanos sejam seres depravados.

O homem é inclinado a praticar o mal, e a honra serve para impedir ele de praticar o mal, como os maus desígnios, a prostituição, os furtos, os homicídios, os adultérios, a avareza, as malícias, o dolo, a lascívia, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura.

A corrupção humana é universal. A corrupção está presente onde houver um ser humano e a corrupção tem a sua origem no coração humano. Não é poder, nem uma educação falha, ou um ambiente ruim que perverte o homem, mas o seu coração corrompido. O meio pode influenciar, mas não é a causa determinante.

O comportamento humano só pode ser mudado a partir de uma mudança interior. Ninguém muda de fora para dentro. Um coração puro é a maior necessidade do ser humano, e para isso tudo acontecer é necessário o famoso primeiro passo e esse primeiro passo e o ser humano ter honra e um código de conduta que molde essa honra e vive – lo.